venerdì 11 aprile 2008

Comidas do Mundo


Há pouco mais de um mês, eu e as minhas “companheiras de piso” decidimos tentar, a cada semana, ir a um restaurante de um país diferente. Isto porque a escolha é muita.

Na primeira semana fomos a um grego. Claro está que não percebíamos quase nada do que estava no menu (eu só percebi as bebidas), e meio ao acaso lá escolhi um prato que agora não me lembro como é que se chama, mas que parecia bem. E até era bom, mas não diferia muita da tipica espetada de carne portuguesa. Aliás era igual. Fui a um restaurante grego à procura de comer alguma coisa diferente e escolhi uma espetada…correu bem.

O jantar correu bem, estivemos em amena cavaqueira, mas lá para o fim aconteceu um pequeno acidente que marcou o jantar. Até mais do que o jantar, marcou a camisola de uma chica que estava na mesa ao lado. E talvez a palavra mais apropriada até seja manchar. Passo a explicar: copo de vinho estrategicamente colocado, mão a mover-se sem ter cuidado e zás…lá saltou o vinho para a mesa do lado. A rapariga ficou chateadissima (o que não se percebe pois a camisola era branca e assim até ficou acom alguma côr). Como se costuma dizer “succede”. E até teve sorte porque o dono do restaurante ofereceu-lhe uma camisola de recordação. Nao percebo porque é que não me agradeceu.

Na segunda semana fomos à Coreia (demorou algum tempo este segundo jantar porque pelo meio houve a minha viagem a Itália e depois a delas a Portugal).

Um dia estávamos a vir do supermercado e vimos um restaurante Coreano e lá decidimos que iria ser nesse a próxima “cena”.

No entanto. quando chegámos à porta, vimos que estava pouca gente (traduzindo, só se via o que presumimos ser o dono do restaurante. E a decoração era muito fraquinha. O chao parecia chão de cozinha, muito feio. Hesitámos um bocado, mas fomos em frente. O senhor que nos atendeu foi muito simpático e basicamente escolheu ele o que íamos comer, fazendo apenas algumas perguntas (preferem arroz, ou massa; carne ou peixe,…).

Os momentos que se antecederam à chegada da comida foram de alguma apreensão (não fazíamos ideia no que ia sair da cozinha), mas quando começaram a chegar os pratos, o medo passou-nos. Quem perguntava em tom de gozo “mas quem é que escolheu este restaurante?”, já dizia “boa escolha”. Nao me lembro bem o que comi, mas foi bom e para repetir. No fundo não vaira muito da comida dos restaurantes chineses (que eu gosto).


No fim-de-semana passado fomos a um egípcio. Uma das minhas “companheiras de piso” tinha dito que costumava haver dança do ventre, o que foi decisivo para a escolha (pelo menos para a minha).

O mesmo problema de sempre na escolha da comida e lá me decidi por comer “Uzy”. Pelo menos este nome dizia-me alguma coisa (apesar de comer uma metralhadora não ser muito apelativo).

E oque é uma Uzy no Egipto perguntam vocês! É nada mais, nada menos do que um folhado de arroz basmático com carne picada. E é o prato que está na foto (das outras vezes esqueci-me de levar a máquina).

Claro que neste jantar também houve algo para contar. Uma desilusão tremenda. Nao havia dança do ventre!! Nao nos deram explicações, apenas disseram que nao havia!! Um escândalo!

O próximo jantar, não sei onde será, talvez Argentina ou Brasil, ainda não sabemos, depois dou notícias.

2 commenti:

Daniel ha detto...

e que tal para a próxima comeres um pãozinho de Portugal? :-)))

Nuno ha detto...

O próximo acabou por ser um bife com molho goulash (rep checa).