mercoledì 28 ottobre 2009

Como é que se diz?


Recentemente li uma noticia que referia que um site tinha-se dedicado a descobrir quais as 10 palavras que mais fazem falta à lingua inglesa. O que até tem algum sentido, já que se quase todas as linguas têm inglesismos (marketing, internet, etc), o inverso não é bem verdadeiro (digo eu que percebo bué disto).

Fizeram uma lista e em primeiro lugar, no ranking das palavras que mais fazem falta ao inglês ficou uma palavra portuguesa!!! Só podia!! "Saudade" é uma palavra dificil de traduzir todos já sabiamos, agora temos a confirmação disso...é o que devem estar a pensar. E pensam mal. A palavra escolhida foi: desenrascanço. E se não acreditam, podem ir ao site aqui.

Isto de ter palavras dificeis de traduzir é-me bastante familiar. Tanto quando estive a fazer o Erasmus em Itália, como agora viver em Espanha, fui vitima do "sindrome do emigrante que já não sabe falar a sua própria lingua em condições".

Um emigrante, ao usar tantas vezes outra lingua, sobretudo se for parecida com a lingua mãe, corre o sério risco de desaprender a falar. Se por um lado quando falamos a nova lingua, muitas vezes desenrascamo-nos e usamos a palavra portuguesa com o "sal" da lingua estrangeira (por exemplo pôr um "i" no final das palavras em italiano, ou tambem um "i" algures a meio das palavras em espanhol), por outro, muitas vezes começamos a fazer o inverso quando falamos português.

Talvez por ter muito contacto com portugueses (tanto em Espanha, como em Itália...mas menos), muitas vezes entre nós começamos a aportuguesar as palavras e falamos entre nós assim, mesmo que a palavra não exista ou tenha um significado diferente.

Alguns exemplos:

Do espanhol

- "Não quadra" (aportuguesamento de "no cuadra", que significa "não bate certo";

- "Apuntas-te?" (aportuguesamento de "te apuntas", que significa "queres ir/vir?";

-" onde vais cenar?" (aportuguesamento de "donde vas a cenar", que significa "onde vais jantar";

-"Viste esta peli?" (aportuguesamento de "has visto esta peli?", que significa "viste este filme".



Do italiano

-"Vou ao negócio" (aportuguesamento de "vado al negozzio" que significa "vou à loja";

- "Tenho um apontamento" (aportuguesamento de "ce l'ho un appuntamento" que significa "tenho um encontro/reunião";

- "Já fizeste o pareggio?" (aportuguesamento de "hai giá fatto il pareggio", que significa "já fizeste a compensação)- Nota este nem precisava de explicação para os actuais ou ex-siemens.


E como estes exemplos há muitos outros. Isto não é problemático quando falamos com outros tugas na mesma situação, o problema é quando falamos com pessoas que não estão a par deste quase dialecto.

Em baixo podem ler a descrição de desenranscaço:

Means:
To pull a MacGyver.
This is the art of slapping together a solution to a problem at the last minute, with no advanced planning, and no resources. It's the coat hanger you use to fish your car keys out of the toilet, the emergency mustache you hastily construct out of pubic hair.
What's interesting about
desenrascano (literally "to disentangle" yourself out of a bad situation), the Portuguese word for these last-minute solutions, is what is says about their culture.

Where most of us were taught the Boy Scout slogan "be prepared," and are constantly hassled if we don't plan every little thing ahead, the Portuguese value just the opposite.

Coming up with frantic, last-minute improvisations that somehow work is considered one of the most valued skills there; they even teach it in universities, and in the armed forces. They believe this ability to slap together haphazard solutions has been key to their survival over the centuries.
Don't laugh. At one time they managed to build an empire stretching from Brazil to the Philippines this way.
Fuck preparation. They have desenrascano.

2 commenti:

Daniel ha detto...

Muito bom!!!
Não sei quem lê o teu Blog, mas acho que grande parte das pessoas (que o lê) usa algumas destas expressões...

Nuno ha detto...

Também não sei quem lê o meu blog. Mas alguém da SIC (ou de outro canal, não me lembro) deve ler, porque neste fim-de-semana (13-15 Nov) fez uma reportagem sobre o desenrascanço à pala da minha descoberta (ok, não fui eu que descobri, mas também não me lembro como fui palar ao tal site americano).