mercoledì 21 ottobre 2009

Burocracia


Agora que passaram dois anos desde que aqui cheguei, acho que é uma boa altura para falar sobre a burocracia necessária para trabalhar e viver em Espanha. Sobretudo agora que Espanha é o país com a mais alta taxa de desemprego da Europa (li também que 30% dos novos desempregados da união europeia vivem por aqui).


Na realidade eu queria ter feito este post há 23 meses, que foi quando tratei da burocracia (isso, quase um mês depois de chegar), mas achei melhor esperar, para dar-me a oportunidade de me esquecer de alguns pormenores.


O primeiro a fazer é tratar do Número de Identificación de Extranjeros, mais conhecido por NIE. Como em tudo na vida, o mais dificil é começar e este acaba por ser o documento mais demorado para se conseguir (umas 2 horas, talvez...depende do número de pessoas que está à frente). Na altura passei por 3 filas e ainda tive de ir ao banco a meio, para pagar uma taxa qualquer. A parte mais caricata foi não deixarem-me entrar num dos edificios, sem os formulários preenchidos. Tinhamos de os preencher na rua, enquanto estávamos na fila. Mas quando entrávamos no edificio ainda estava muita gente à espera, por isso não fazia sentido nenhum que tivessemos de preencher a papelada, apoiados no joelho ou na parede...enfim. Acho que é preciso também levar fotocópia do passaporte ou do B.I e fotos tipo passe. No final dão um papel verde com um número, mas não tem lá nenhuma foto. Portanto é um documento prático e fiável.


Depois trata-se ou do empadronamiento ou da segurança social. E tanto um como outro são relativamente rápidos de tratar. Não mais de 15/20 minutos. Para a inscrição na Segurança Social, é preciso o tal NIE (levar sempre fotocópias) e pode-se efectuar num dos vários postos de Segurança que há, espalhados pela cidade (ao contrário do N.IE. que só se pode "tirar" num sitio).


Passamos então ao empadronamiento, que será o equivalente à inscrição como habitante de uma determinada freguesia. Para o empadronamiento é necessário documentação comprovativa de que realmente se vive no bairro onde se situa a "Junta de Freguesia". Para isto, basta uma cópia do contrato de arrendamento, de uma factura de luz/telefone, etc, ou de uma declaração da pessoa que tem contrato de arrendamento a dizer que a pessoa X vive na morada Y.


Por último o cartão de saúde. No meu caso foi o útlimo bem último, pois só tratei disto em Agosto deste ano. Não demora muito tempo (também 15/20 minutos), mas é preciso levar toda a papelada que se tenha: fotocópia de BI, fotocópia de NIE, comprovativo de inscrição na Segurança Social e o papel do empadronamiento. Aqui é que a coisa pode correr mal. O tal papel do empadronamiento só tem validade por 3 meses, pelo que pode acontecer (e aconteceu) ir ao centro de saúde e voltar sem ter tratado de nada, por causa deste prazo de validade. Caso estejam a pensar (e mesmo que não estejam) "porque é que não trataste disso tudo ao mesmo tempo?", eu respondo "porque tinha o Cartão de Saúde Europeu, que só perdeu a validade em Abril e porque não sabia da perda de validade do papel do empadronamiento.

2 commenti:

Daniel ha detto...
Questo commento è stato eliminato dall'autore.
Nuno ha detto...

Temos de exportar a loja do cidadão para Espanha